sábado, 14 de julho de 2007

Concentração contra o RJIES frente ao MCTES no dia 16 Junho

Contra o novo Regime Jurídico para o ensino superior, que transforma as faculdades em EMPRESAS e que apaga qualquer traço que houvesse de DEMOCRACIA e participação da comunidade escolar na escola!

Professores, estudantes, funcionários
acordem para esta realidade e manifestem-se!
antes que seja tarde demais

Divulguem este mail e apareçam!




DIA 16 DE JULHO (2ª feira), 14:30
(Estrada das Laranjeiras 197-205 (Lisboa),
Metro: Jardim Zoológico, Laranjeiras (linha azul),
CP: Sete Rios (linhas de Sintra e Azambuja),
Carris: 701, 726, 755, 768)


há várias acções em que todos os que estão contra o novo RJIES devem participar!


- balões com mensagens de contestação!
- mordaças que nos impedem de falar!
- panfleto sobre o RJIES!
- o Movimento Pára a Lei, parará o Trânsito!



Não deixes de ir, participa,
esta lei NÃO pode passar!

1 comentário:

Pára a Lei disse...

Comunicado de Imprensa


Hoje, dia 16 de Julho, segunda-feira, às 15 horas, o Movimento Pára a Lei esteve presente em frente ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES). O objectivo foi assinalar o início da discussão na Assembleia da República sobre o Regime Jurídico para as Instituições do Ensino Superior (RJIES), que marca o fim da democracia na Universidade, a entrega desta ao mercado e o consequente fim do Ensino Superior Público como um direito igual para todos.


Dezenas de estudantes manifestaram- se pelo alargamento do prazo de discussão e contra o modo autoritário como o Governo do PS está a conduzir esta reforma.


O protesto consistiu na colocação de faixas e distribuição de panfletos aos transeuntes por pessoas amordaçadas, materializando a mordaça colocada pelo Governo àqueles que querem participar na discussão.


A acção de protesto manteve-se até ao momento em que a Polícia ordenou a dispersão dos que ali se encontravam, alegando a perturbação da ordem pública.


Face à obstinação do Governo do PS em aprovar uma lei consensualmente contestada, não podemos deixar de denunciar e lutar contra a imposição autoritária da maior reforma do Ensino Superior das últimas décadas.


Movimento Pára a Lei